+55 (31) 3561- 7071

Conheça Nossa Equipe

Saiba Mais

Em cada exame uma vida!

Saiba Mais

Qualidade que faz diferença

Saiba Mais
Testes de Anticorpos para Covid-19VOLTAR

Bases para utilização de testes de anticorpos para Covid-19

Quase todos os indivíduos imunocompetentes desenvolverão uma resposta imune após a infecção por SARS-CoV-2. Os testes moleculares, do tipo RT- PCR, detectam o material genético do vírus e, assim, são considerados o padrão ouro. Contudo, os testes sorológicos podem desempenhar um papel importante na luta contra o COVID-19, ajudando a identificar indivíduos que desenvolveram uma resposta imune ao SARS-CoV-2, mesmo assintomáticos. Outras aplicações e questões a serem melhor entendidas são a eficácia dos anticorpos em conferir redução na gravidade da infecção, a duração da imunidade e a própria utilidade do plasma convalescente para tratamento.

 

 

 

 

 

 

 

Sobre anticorpos para SARS-CoV-2

  • Anticorpos IgM e IgG para SARS-CoV-2 surgem quase simultaneamente no soro dentro de 2 a 3 semanas após o início da doença. Assim, a detecção de IgM sem IgG é incomum. Esta é uma grande diferença em relação a outras doenças e quanto ao conceito de fase aguda e crônica. O tempo de permanência é muito variável.
  • O marcador mais sensível e precoce é o anticorpo total, não diferenciando entre IgG e IgM ou IgA.
  • Em torno da terceira e quarta semana, ocorre a soroconversão de IgG e IgM e os níveis de IgM entram em declínio por volta da quinta semana, desaparecendo em torno da sétima semana
  • Algumas pessoas podem não desenvolver anticorpos detectáveis ​​após a infecção por coronavírus. Em outras, é possível que os níveis de anticorpos diminuam ao longo do tempo para níveis indetectáveis.
  • Os resultados dos testes sorológicos no início da infecção não indicam com segurança a presença ou ausência de infecção atual ou prévia com SARS-CoV-2.
  • Os testes para IgM podem apresentar reação falso-positiva e o ideal, segundo o CDC (Center for Disesase Control) dos Estados Unidos, seria aplicar algoritmo ortogonal (teste positivo repetido em novo teste diferente, formato ou antígenos). Veja a tabela 1 sobre o Valor Preditivo Positivo (VPP) utilizando um ou dois testes de acordo com a prevalência na população.
Tabela 1- Valor Preditivo Positivo (VPP) utilizando um ou dois testes ortogonais, de acordo com a prevalência na população
Prevalência
VPP para 01 testes

(Sensibilidade=90%, Especificidade =95%)

VPP para 02 testes

(Sensibilidade=90%, Especificidade =95%)

2%
26.9%
86.9%
5%
48.6%
94.5%
10%
66.7%
97.3%
30%
88.5%
99.3%
  • O teste sorológico não deve ser usado para determinar o status imunológico dos indivíduos até que a presença, durabilidade e duração da imunidade sejam estabelecidas.
  • É importante que o teste tenha uma elevada especificidade e que sejam testados indivíduos com elevada probabilidade pré-teste.

 

 

 

 

 

Chance de infecção por SARS-CoV-2, devido a um resultado negativo do teste, de acordo com a probabilidade pré-teste. Adaptado de “False Negative Tests for SARS-CoV-2 Infection — Challenges and Implications”. N Engl J Med. DOI: 10.1056/NEJMp2015897

Tem sido um desafio obter metodologias que possam ser o padrão para que a sensibilidade possa ser mensurada nos indivíduos assintomáticos.

Sobre testes de LFA (lateral flow assay) e outras metodologia (ELISA, CLIA e ECLIA)

Os testes LFA ou imunocromatográficos (rápidos) possuem limitações devido à imprecisão e diversas entidades nacionais e internacionais têm buscado a validação dos testes, que têm sido amplamente ofertados no mercado diagnóstico.

Outros testes em ensaios do tipo ELISA, CLIA e ECLIA

São testes automatizados, que podem ser feitos de forma padronizada, em larga escala e com características de design que os torna mais sensíveis e específicos. No artigo recentemente publicado “EUA Authorized Serology Test performance”, podem ser consultados os estudos de desempenho de diferentes fornecedores de testes sorológicos. Informação similar pode ser obtida em https://testecovid19.org/

Limitações:

· O antígeno apropriado a ser usado na detecção de anticorpos circulantes contra SARS-CoV-2 ainda não foi definido, sendo alguns dirigidos contra a proteína spike e outros contra o nucleocapsideo. Como existe elevada homologia antigênica com outros coronavirus, a seleção do antígeno é fundamental para especificidade.

Apesar da elevada sensibilidade e especificidade dos testes sorológicos disponibilizados para determinação quantitativa de IgG, IgM ou anticorpos totais, deve-se observar a dependência dos mesmos da dinâmica temporal da infecção (resposta imunológica e níveis de anticorpos) e dados de prevalência.Apresentamos no quadro abaixo, extraído do artigo de Tang e colaboradores (Clinical Performance of Two SARS-CoV-2 Serologic Assays) o desempenho de duas plataformas, ELISA e CLIA, em diferentes dias após o início da infecção. Há superioridade dos ensaios quimioluminescentes.

Tabela 02 – Avaliação da Sensibilidade de dois ensaios sorológicos (Tang e cols.)
SENSIBILIDADE APÓS INICIO DOS SINTOMAS
CLIA
ELISA
Após 3 dias
0,0% (95% CI; 0.00-26.47%)
0.0% (95% CI; 0.00-26.47%)
Após 3-7 dias
30.0% (95% CI; 11.89-54.28)
25.0% (95% CI; 8.66-49.10)
Após 8-13 dias
47.8% (95% CI; 26.82-69.41
56.5% (95% CI; 34.49-76.81)
Após 14 dias
93.8% (95% CI; 82.80-98.69)
85.4% (95% CI; 72.24-93.93)
ESPECIFICIDADE
99.4% (95% CI; 96.41-99.98%)
96.7% (95% CI; 92.54-98.93)

Em resumo, os dados demonstram que os testes sorológicos, mesmo em plataformas automatizadas, apresentam baixa sensibilidade antes de 14 dias da infecção e são inadequados para o diagnóstico.

· Um único teste negativo não descarta uma infecção. No ensaio CLIA os anticorpos são contra o nucleocapsideo e no ELISA contra proteína Spike, contudo não se sabe, com certeza, se são neutralizantes e conferem proteção.

· Reações cruzadas podem ocorrer com outros coronavirus, influenza, Epstein Barr, dengue, dentre outros.

Sumário das indicações de testes sorológicos para SARS-CoV-2

1.  Estudo de soro prevalência em nível populacional, ou seja, determinar a extensão da infecção por COVID-19 em uma comunidade.

2.  Determinar se uma pessoa teve uma resposta imune ao SARS-CoV-2, independentemente se teve sintomas ou não. No momento, não há dados suficientes para determinar se uma resposta imune confere ou não imunidade ou por quanto tempo.

3. O teste sorológico pode ser oferecido como um método para apoiar o diagnóstico da doença aguda COVID-19 para pessoas que se apresentam 9 a 14 dias após o início da doença, principalmente com quadro clínico sugestivo e testes de detecção direta, PCR não detectado.

4. Identificar pessoas com resposta de anticorpos para servirem como doadores de plasma convalescentes.

Recomendações para pessoas com resultado positivo para anticorpos anti-SARS-CoV-2

1. As pessoas assintomáticas que apresentam resultados positivos por testes sorológicos e que não têm histórico recente de uma doença compatível com COVID-19 têm uma baixa probabilidade de infecção ativa e devem seguir recomendações gerais para prevenir a infecção por SARS-CoV-2 e continuar com as atividades normais.

2. As pessoas que tiveram uma doença confirmada ou compatível com COVID-19 devem seguir as orientações sobre a retomada das atividades normais, incluindo o trabalho.

3. O teste sorológico destina-se apenas a detectar anticorpos contra o vírus, a não diagnosticar infecção recente ou ativa e não pode identificar a data de exposição. 

 

Principal interpretação para qualquer teste sorológico Positivo para SARS-CoV-2

Os testes sorológicos podem ser usados ​​como parte de um algoritmo de teste para documentar a  soroconversão e corroborar uma suspeita de contato anterior com o  COVID-19 . Ou seja, identificar casos prováveis, aplicados  em conjunto com outros testes de diagnóstico, histórico clínico, etc.

 Orientação Geral

Até que haja mais evidências sobre imunidade protetora, os resultados dos testes sorológicos não devem ser usados para tomar decisões relativas à necessidade de equipamento de proteção ou necessidade de descontinuar as medidas de distanciamento social.

 

Assessoria Médica Lab Rede
7ª edição. Junho/2020
Referências
1.Tang MS, Hock KG, Logsdon NM, et al. Clinical Performance of Two SARS-CoV-2 Serologic Assays [published online ahead of print, 2020 May 13]. Clin Chem. 2020;hvaa120. doi:10.1093/clinchem/hvaa120.
2.Interim Guidelines for COVID-19 Antibody Testing Disponível em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/lab/resources/antibody-tests-guidelines.html. Última consulta em 08/06/2020.

3.Serological testing for SARS-CoV-2 antibodies Disponível em https://www.ama-assn.org/delivering-care/public-health/serological-testing-sars-cov-2-antibodies. Última consulta em 08/06/2020.

4.EUA Authorized Serology Test Performance. Disponível em: https://www.fda.gov/medical-devices/emergency-situations-medical-devices/eua-authorized-serology-test-performance. Última consulta em 08/06/2020.
FOTOS